Volta para a capa
          O que é poesia? Quem é poeta?
Octavio Paz

 

 “Há poesia sem poemas; paisagens, pessoas e fatos costumam ser poéticos; são poesia sem ser poemas"

"Toda grande poesia deve enfrentar-se com a morte e ser uma resposta à morte"

"O poema é algo que está mais além da linguagem. Mas isso que está mais além da linguagem só pode se alcançado através da linguagem"

"A palavra pan, tocada pela palavra sol, se torna efetivamente um astro; e o sol, por sua vez, se torna um alimento luminoso. Assim é o fazer do poeta"

"O poema nos faz recordar o que temos esquecido: o que realmente somos"

“La poesía me fascina porque no es positivismo, no es solución, es mirar al otro lado. La poesía es una manera de acceder a la otredad. El hombre no se puede reducir a datos, el hombre tiene una dimensión infinita, desconocida. Esto es esencial. El hombre es enigmático porque es aparente. Afortunadamente, la experiência  del hombre no se ha  acabado”.

"A esperiência poética, como a religiosa, é um salto mortal; uma mudança de natureza que é também um regressar a nossa natureza original"

“El poeta es el hombre que en este siglo puede dar un poco de lucidez a la gente. La función de la poesía, del poeta  no es decir a la gente, a los hombres que se van a salvar, dejen eso a los demagogos de la política, a los curas y los comisarios. El poeta lo que tiene que decir a los hombres es que son mortales, que son desdichados, que son seres que se desean"

”Os poetas malditos não são uma criação do romantismo: são fruto de uma sociedade que expulsa aquilo que não pode assimilar. A poesia não ilumina nem diverte o burguês. Por isso deserda o poeta e transforma-o num parasita ou num vagabundo. Disso vem o fato de os poetas, pela primeira vez na história, não viverem de seu trabalho. Seu labor não vale nada".

"O poeta ao enunciar a identidade dos contrários, atenta contra os fundamentos do nosso pensar. Portanto, a realidade poética da imagem não pode aspirar a verdade. O poeta não diz o que é, e sim o que poderia ser. Seu reino não é o do ser, e sim o do 'impossível verossimel', de Aristóteles"

"O ser humano é um ser que se assombra; ao assombrar-se. poetiza, ama, diviniza. No amor há assombro, poetização, divinização e fetichismo. O poetizar brota também do assombro e o poeta diviniza como o místico e ama como o enamorado"

"O poeta transforma, recria e purifica o idioma; e depois o comparte"

 

 

Fonte: Gritti, Delmino. Sobre o livro e o escrever. Caxias do Sul: Maneco Livraria & Editora, 2002.

- Link1
- Link2
- Link3